Entrevista com Dr. Christian Beyer: Psiconeurhomeopatia

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Unindo a Psiconeurodontologia, a Homeopatia e outros conhecimentos, o Dr. Beyer desenvolveu a Psiconeurhomeopatia. Sua prática abrange todo o caminho desde uma alteração na matéria do indivíduo até o que precisa ser atendido em seu espírito …

Em que consiste a Psiconeurhomeopatia?
Nenhuma modificação orgânica pode ser separada de sua estrutura psicológica inconsciente, então Psiconeurhomeopatia é uma homeopatia que é prescrita considerando um estudo psicológico e transgeracional da pessoa. Cada remédio homeopático é uma substância que só pode ser ativada em nosso corpo se tivermos uma memória transgeneracional muito precisa. Então, para mim, a Psiconeurhomeopatia é quase esquecer o corpo, olhar os dentes, a memória transgeracional e encontrar o remédio que corresponde à ela.

E o que isso contribui para alguém que já pratica Homeopatia?
É entender que a homeopatia não é lutar contra o sintoma no corpo, é tomar consciência de que, se houver uma manifestação corporal, é que existe uma estrutura psicológica que está ativa e, por trás dela, uma memória transgeracional. E para mim, é a grande força de Psiconeurhomeopatia: é dizer ao indivíduo “sua manifestação corporal é apenas a conseqüência de uma estrutura psicológica”. É fazer com que ele compreenda pelo menos uma vez que o espírito domina a matéria.

Você pode dar um exemplo?
Por exemplo, o remédio Silicea, que os homeopatas conhecem muito bem porque é um remédio muito importante, quando li novamente com o conhecimento de Psiconeurodontologia, percebi que a estrutura psicológica de Silicea era uma sensação de queda, de queda no vazio, esperando encontrar o fundo. Silicea é classicamente prescrita para todas as supurações crônicas e fístulas, e para a psiconeurodontologia eu sei que a existência de uma fístula na boca é a busca de uma ordem hierárquica, de uma estrutura. Então, alguém que precisa de Silicea tem esse problema em sua psique, que não tem estrutura de suporte. Então a Psiconeurhomeopatia traz essa visão desse conhecimento de si mesmo, além do corpo, do que temos em nossa mente inconsciente.

Mas a atual homeopatia já considera efeitos psicológicos e de estado anímico…
Sim, a Homeopatia atual já tem essa virtude, que é agir na esfera do espírito, e é capaz de limpar um problema psicológico, mas só é capaz de fazê-lo por um momento, isto é, pode haver uma recidiva, e para mim é porque a estrutura psicológica pede uma colocação em palavras. A Psiconeurhomeopatia oferece todas as palavras que o homeopata pode dizer ao paciente, para que seu paciente perceba o que acontece em seu inconsciente e não haja recidivas, porque foi um dos problemas de Hahnemann (Christian Friedrich Samuel Hahnemann) as recidivas, acabado o tratamento com o tempo voltava a patologia.

Por que a palavra “neuro”?
A palavra “neuro” eu uso primeiro para lembrar a psiconeurodontologia e segundo porque neuro representa o dente, que tem a mesma origem embriológica que o sistema nervoso.

Eu entendo que você também usa outros conhecimentos …
A psiconeurhomeopatia é composta pelos dados da psiconeurodontologia e da ciência da homeopatia, mas como busco o significado psicológico da matéria, fui buscar na mitologia e nos textos sagrados a presença do nome de cada remédio e isso me deu uma informações muito valiosa.

Por exemplo, Lachesis, que é um remédio homeopático muito conhecido, é também o nome de uma deusa do panteão grego, precisamente uma das três Moiras. Com esta informação, pude entender o quadro psíquico deste remédio homeopático. Outro exemplo possível é o Phosphorus, que é representado por Prometeo. Por sua vez, utilizo o número atômico do elemento químico que é o remédio e a numerologia para abordar a imagem psíquica de cada remédio.

As diluições homeopáticas que podem ser compradas em farmácias hoje em dia , servem para a psiconeurhomeopatia?
Em geral, sim. Mas devemos saber que o princípio de Psiconeurhomeopatia é tocar estruturas psíquicas mais profundas até a estrutura transgeneracional, para tocar essas áreas, temos que usar diluições muito muito altas. Ou usamos as diluições de Korsakovian e usamos 1000K, ou 10,000K, ou 50,000K, ou usamos uma das últimas pesquisas de Hahnemann, que é a 52,000CH. Isto é dizer que é algo muito alto, porque uma das diluições mais altas que conhecemos é 30CH, e aqui estamos em 52.000CH.

Que tipo de doenças podem ser tratadas?
Todas. Porque cada vez que queremos ir ao médico é porque o corpo tem uma reação. A partir desse instante, o homeopata, graças à psiconeurhomeopatia, pode voltar a seguir o caminho da expressão da matéria até a coisa escondida no espírito.

Nos apontamentos de seus cursos, pode-se ler: “… a impressão é corrigida, a memória biológica da estrutura psicológica, que não é o mesmo que corrigir o efeito momentâneo de uma estrutura psicológica que desencadeia”. O que quer dizer?

Hahnemann estudou as doenças crônicas por 12 anos e a tomada de consciência mais poderosa que ele teve foi dar-se conta de que o que ele chamou a “psora” afeta toda a humanidade. Não existe um ser humano que não traz essa doença crônica no nascimento. Hahnemann nos fala sobre herança, diz que vem da nossa família, além de ser afetado por questões de nossa existência.

Então, tudo o que nos acontece é uma herança. Bem, é uma herança biológica, porque meu corpo é o resultado do acoplamento de dois corpos e ali entraríamos no transgeneracional, ou se nos colocamos em um aspecto mais espiritual, temos uma alma com um passado, que chamamos de vidas anteriores, que também nos estão dando coisas herdadas hoje. Então é sempre uma herança.

Ou seja, já nascemos um pouco enfermos … Sim. Você sabe como  Hahnemann chama?

Ele diz que é a manifestação biológica do que a Bíblia chama de “pecado original”. Surpreendente, não é? Na Bíblia, a noção de pecado original está escrita, que ninguém sabe o que é, mas que o inconsciente coletivo já a interpretou como uma noção de tentação e sexualidade. Os textos falam da árvore do conhecimento, que não tínhamos que tocá-la, mas que uma serpente nos propôs uma fruta e Eva e Adam comeram. E a história nos diz que, a partir desse dia, deixamos o jardim do Éden. E a psora carrega essa noção que vai em cada indivíduo, o sentir-se privado da graça divina, isto é, quer dizer que existe uma espécie de pessimismo  frente à vida porque Deus não está mais lá para ajudar. E nós nascemos com isso, seja qual for a religião, a cultura, o ambiente social … O psora é universal.

Psiconeurhomeopatia tem riscos ou efeitos colaterais?

Não, mas você tem que conhecer os efeitos da Homeopatia. A primeira noção fundamental para cada homeopata é que ninguém sabe como a homeopatia funciona, o que sabemos é que funciona. Por exemplo, o remédio Psorinum, quando o damos a um paciente, sabemos que entre os dias nono e o décimo segundo haverá manifestações e, acima de tudo, não há necessidade de tentar sufocá-las ou extinguí-las, o corpo irá espressar manifestações e tanto o paciente quanto o  doutor só tem que observá-lo.

Então, se eu tenho um eczema e tomo o remédio que preciso, posso ter uma agravação por vários dias que pode me fazer acreditar que o remédio está me deixando doente, mas não, está permitindo que meu corpo reaja e reaja dessa maneira. Se eu tiver paciência depois de alguns dias, tudo desaparece. É o modo mais comum de reação, mas não é necessariamente o que sempre acontece. Lembro-me de um paciente que teve uma urticária móvel por três meses, tomou o remédio à noite e, no dia seguinte, desapareceu o sintoma e, até o momento, não retornou.

Eu entendo que a Espagiria já tem um aspecto humanístico e psicológico. A Psiconeurhomeopatia se parece com à Espagiria?

 Não parece nem na preparação de remédios e nem na maneira de perguntar ao paciente. A Espagiria é um legado da alquimia e a homeopatia não . Por outro lado, a homeopatia usa um remédio porque o reconhece na manifestação do corpo e a Espagiria usa o remédio para reequilibrar um desequilíbrio, assim como  não é também da mesma maneira o aproximar o médico do seu paciente, bem como a preparação do remédio. Não há diluições e não há dinamização na Espagiria. A Espagiria tem uma abordagem ayurvédica, não homeopática, embora também seja muito poderosa.

Os problemas de humor (ansiedade, depressão) ou problemas psiquiátricos podem ser tratados?

Para estados de depressão, a Psiconeurhomeopatia é muito poderosa. Para casos psiquiátricos, é muito ativa, mas com o problema do tratamento químico que já está instalado, porque o remédio homeopático, se já existe uma impregnação química, precisará de mais tempo para que um efeito se manifeste, mas é muito eficaz. Estou lendo três livros de uma homeopata americano que descreve todos os remédios apenas sob o aspecto psicológico. É impressionante o número de casos psiquiátricos que descreve que foram transformados através de um único remédio.

Você precisa conhecer a homeopatia para participar da formação?

Não é imprescindível. Estou realizando o meu sonho de ensinar toda homeopatia como um homeopata normal, incluindo a Psiconeurhomeopatia.

Quando é o próximo curso?

É em outubro, mas já é a segunda parte, contudo voltarei a fazer a formação desde o início mais adiante. No entanto, é possível juntar-se a esta segunda parte se a pessoa estudar o conteúdo da primeira.

Foi falado sobre a força vital antes. O que é?

Hahnemann falou sobre a força vital falando de uma energia de vida que está no interior do corpo e que mantém o corpo em equilíbrio de funções, de modo que tudo esteja bem. Pode ser comparado com a energia do Chi, dos chineses. E para a psiconeurodontologia, ela representa a fonte de energia  saindo do pólo terrestre da estrutura da alma. Este pólo terrestre nos dá a energia da vida, estando também conectado ao pólo celeste. Quando o mental humano se coloca em estresse, ele corta o vínculo energético e esta energia vital se esgota, e só nos resta a energia natural da célula biológica, a qual  em algum momento também se esgotará.

E as pessoas que estão doentes perderam sua força vital?

Sim, de acordo com a visão da psora, eles estão desligados do Céu desde o nascimento, e em um dado momento, por  suas condições de vida, eles também vão desligar-se da Terra, e aí estão em um estado muito propenso a doenças. O remédio homeopático de Psiconeurhomeopatia atua sobre a camada mental para refazer o vínculo entre os dois pólos, celestial e terrestre.

Entrevista realizada por Adolfo Díaz Ubeda

20 de febrero de 2018

More to explorer

Deixe um comentário